Busca

Quem procura acha!

Basta procurar que você irá encontrar

Tag

pecado

Satanás como acusador

videiraToda a iniqüidade é pecado, e há pecado que não é para morte. Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não peca; mas o que de Deus é gerado conserva-se a si mesmo, e o maligno não lhe toca. Sabemos que somos de Deus, e que todo o mundo está no maligno. 1 João 5:17-19

 

Satanás nos acusa diante de Deus, procurando nos oprimir com nossos próprios pecados, mas o perdão gracioso de Cristo é maior que a ira do diabo. Em Cristo, temos o perdão pelos nossos pecados e a vitória sobre satanás e seus ardis.

A pessoa peca e o diabo a acusa veemente, fazendo com que se sinta culpada e desanimada, incapaz de reagir. Chega a pensar que realmente não tem jeito para si mesmo. As vezes, o diabo usa até mesmo amigos e pessoas próximas para fazer esse trabalho de acusação, procurando afastá-la e destruí-la. No evangelho, porém, aprendemos que somos perdoados em Cristo e que esse perdão é maior que o nosso pecado. Na verdade “onde abundou o pecado, superabundou a graça” (Rm. 5:20).

Então, não se deixa abalar. Caiu? Levante-se e comece de novo, assaltou a geladeira na sua briga quanto ao seu peso? Comece o regime novamente. Pecou? Arrependa-se e peça perdão a Cristo que é fiel para nos perdoar. Quem está em você é muito maior do que quem está no Mundo; o Espírito Santo do Deus Vivo é que vive em você e lhe dá a alegria da salvação que ninguém pode lhe tomar. Pois, pertence a Cristo, Ele o comprou, pagou e o lavou com seu sangue.

Oração: Senhor, obrigado pela sua grandeza, pela sua infinita misericórdia, por ter me salvado e pela sua eternidade. Levante e nos sustente em nossas quedas. Em nome de Jesus lhe pedimos e já agradecemos, porque sabemos que está sempre conosco. Amém

 

 

 

Anúncios

Evangelho resumido

RESUMIDO:

  1. O Deus único, que é santo, nos criou à sua imagem para que o conhecêssemos (Gn 1.26-28).
  2. Todavia, nós pecamos e nos separamos desse Deus (Gn 3; Rm 3.23).
  3. Em seu grande amor, Deus enviou o seu Filho Jesus para vir como rei e resgatar o seu povo dos seus inimigos – sobretudo do próprio pecado (Sl 2; Lc 1.67-69).
  4. Jesus estabeleceu o seu reino ao atuar, de uma só vez, como um sacerdote mediador e um sacrifício sacerdotal – ele viveu uma vida perfeita e morreu na cruz, assim cumprindo ele mesmo a lei e tomando sobre si a punição devida ao pecado de muitos (Mc 10.45; Jo 1.14; Hb 7.26; Rm 3.21-26; 5.12-21).
  5. Ele agora nos chama ao arrependimento dos nossos pecados e à fé em Cristo somente, para o nosso perdão (At 17.30; Jo 1.12). Se nos arrependermos  e confiarmos em Cristo, nascemos de novo para uma nova vida, uma vida eterna com Deus (Jo 3.16)
MAIS RESUMIDO:
  1. Deus. Deus é o criador de todas as coisas (Gn 1.1). Ele é perfeitamente santo, digno de toda adoração, e há de punir o pecado (1Jo 1.5; Ap 4.11; Rm 2.5-8).
  2. Homem. Todas as pessoas, embora criadas boas, tornaram-se pecaminosas por natureza (Gn 1.26-28; Sl 51.5; Rm 3.23). Desde o nascimento, todas as pessoas estão separadas de Deus, são hostis a Deus e estão debaixo da ira de Deus (Ef 2.1-3).
  3. Cristo. Jesus Cristo, que é plenamente Deus e plenamente homem, viveu uma vida sem pecado, morreu na cruz para suportar a ira de Deus em lugar de todos aqueles que haveriam de crer nele, e ressuscitou do sepulcro para dar vida eterna ao seu povo (Jo 1.1; 1Tm 2.5; Hb 7.26; Rm 3.21-26; 2Co 5.21; 1Co 15.20-22).
  4. Resposta. Deus chama todos os homens, em todos os lugares, para que se arrependam de seus pecados e creiam em Cristo a fim de serem salvos (Mc 1.15; At 20.21; Rm 10.9-10).

fonte: http://voltemosaoevangelho.com/blog/2013/06/4-falsos-evangelhos-cuidado/

Os órfãos e as viúvas

orfaos

“Portanto, meus amados irmãos, todo o homem seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar. Porque a ira do homem não opera a justiça de Deus. Por isso, rejeitando toda a imundícia e superfluidade e malícia, recebei com mansidão a palavra em vós enxertada, a qual pode salvar as vossas almas. E sede cumpridores da palavra, e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos. Porque, se alguém é ouvinte da palavra, e não cumpridor, é semelhante ao homem que contempla ao espelho o seu rosto natural; Porque se contempla a si mesmo, e vai-se, e logo se esquece de como era. Aquele, porém, que atenta bem para a lei perfeita da liberdade, e nisso persevera, não sendo ouvinte esquecediço, mas fazedor da obra, este tal será bem-aventurado no seu feito. Se alguém entre vós cuida ser religioso, e não refreia a sua língua, antes engana o seu coração, a religião desse é vã. A religião pura e imaculada para com Deus e Pai, é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações, e guardar-se da corrupção do mundo” Tiago 1:19-27

Porque que Tiago nos diz isto?  Porque ele descobriu que a verdadeira justiça é orientada para as pessoas. No mundo antigo, o órgão e a viúva eram desamparados na sociedade. Sofriam pressões financeiras, eram legalmente fracos e, acima de tudo, sofriam a pressão emocional da dor da solidão. Uma rápida consulta a uma concordância bíblica é suficiente para mostrar o quanto Deus se preocupava com estas pessoas. A Escritura é repleta de mandamentos para que Israel (no Antigo Testamento) cuidasse do órfão e da viúva.

Atualmente temos programas de Governo para ajudar financeiramente os órfãos e as viúvas. Porém, o estado de viuvez e orfandade ainda é desagradável e a carência financeira e emocional, especialmente dos órfãos, costuma ser imensa. As instituições sociais podem mudar, mas as exigências para mostrar compaixão para com aqueles em  necessidade são as mesmas. De acordo com o ensino de Tiago, a pessoa que se dedica a atos de piedade (por exemplo, ir à igreja e entregar o dízimo), mas não se preocupa em demonstrar ao necessitado, de maneira prática, o amor de Jesus, não tem uma religião verdadeira. Em outras palavras: a piedade sem compaixão é uma mentira. Somos chamados para demonstrar o amor de Jesus e não só praticar obras sociais.

“Quem, pois, tiver bens do mundo, e, vendo o seu irmão necessitado, lhe cerrar as suas entranhas, como estará nele o amor de Deus? Meus filhinhos, não amemos de palavra, nem de língua, mas por obra e em verdade” 1 João 3:17-18

Oração de hoje: “Pai querido, obrigado por que tem nos dado muito mais que precisamos. Perdoa nos, porque ainda assim reclamamos muito e dividimos muito pouco. Ensina nos a ser como o Senhor, que tem nos dados tudo sem que mereçamos, que possamos ajudar aos nossos irmãos, não por obras, mas por amor. O mesmo amor que o Senhor tem nos ajudado com sua grande misericórdia que se renova a cada manhã. Em nome de Jesus agradecemos e lhe pedimos”.

O objetivo da vida cristã – parte 5

vaidade

      Leitura de hoje:  “Justiça, misericórdia e humildade”        

                ‘Com que me apresentarei ao Senhor, e me inclinarei diante do Deus altíssimo? Apresentar-me-ei diante dele com holocaustos, com bezerros de um ano? Agradar-se-á o Senhor de milhares de carneiros, ou de dez mil ribeiros de azeite? Darei o meu primogênito pela minha transgressão, o fruto do meu ventre pelo pecado da minha alma? Ele te declarou, ó homem, o que é bom; e que é o que o Senhor pede de ti, senão que pratiques a justiça, e ames a benignidade, e andes humildemente com o teu Deus? Miquéias 6:6-8

A luta continua

O Objetivo da vida Cristã é buscar o reino de Deus e sua justiça!

Você já fez uma boa ação hoje?  Então marque a alternativa que corresponde à sua ação:

Sim, já coloquei mais um ‘tijolinho no céu’ para minha casa de lá
Ainda não fiz nenhum boa ação hoje
Sim, fiz para glória de Deus e para que o Senhor brilhe em mim

Antes de comentar qualquer coisa, preste bastante atenção no que Paulo nos ensina sobre boa ação (obras de homem), seja ela a dedicação de uma vida toda aos pobres e necessitados: “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie;” Efésios 2:8-9

Parece simples o que Paulo nos ensina e na verdade é. Mas nossa capacidade imaginativa parece que não gosta de coisas simples, óbvias. Precisamos sempre emoldurar a simplicidade e dar ‘um toque’ sofisticado nela! E não foi diferente com esta pérola que Paulo nos ensina.  Agora convido-o, a tirar a moldura da sofisticação e prestar a atenção na simplicidade e grandiosidade do que Paulo nos fala. Ele está falando da essência do cristianismo: a Graça de Deus em nossas vidas!  É de graça mesmo, não custou nada e qualquer tentativa nossa de pagar ou comprar nossa salvação com obras é um insulto a Deus. É o mesmo que querer pagar um presente que você ganhou. Só que neste caso não é um presentinho corrupitível pelo tempo, é a própria vida eterna cheia de alegrias e a presença constante do Todo Poderoso e o Cordeiro de Deus (Apocalipse 21:22).

Está nos dizendo que não depende de uma vírgula sequer para sejamos salvos por Cristo. Que obra ou boa ação qualquer fará qualquer diferença em sermos ou não salvos por Cristo. A única coisa que realmente importa é a fé em Deus. E nem isto conseguimos ter por nós mesmo, “é dom de Deus” como o próprio versículo nos ensina.

Então, agora ficou fácil, posso pecar a vontade, já estou salvo mesmo! E nós adoramos pecar, qualquer um, temos um gosto enorme para isto, todos sem exceção, não há  um sequer que não tem prazer da carne em pecar.  Faz parte da nossa natureza caída, que somente será restaurada quando Cristo voltar (Atos 1:11; Hb 9:28).  Para quem tem fé, o dom que Deus nos deu, temos hoje um aliado Todo Poderoso, que é o Espírito Santo, o próprio Deus. E Ele é quem briga com a carne, o mundo e o diabo, por nós.  A partir do momento que o Espírito Santo está em nós, passamos a ser ramos da videira que é Jesus Cristo. E videira produz uva, não abóbora, abacaxi ou outro fruto, somente uva.

Então, para nós que estamos ligados  a Cristo pela sua exclusiva vontade e misericórdia (Ele que nos deu o dom da fé),  temos o desejo de produzir somente uvas, fazer as boas obras e boas ações para que a luz de Cristo brilhe através de nós para o mundo e sua glória se resplandeça em nós. É promessa Dele: ‘…Se alguém me ama, guardará a minha palavra, e meu Pai o amará, e viremos para ele, e faremos nele morada’  João 14:23

As vezes insistimos em sermos ramos de videira desgarrados e produzimos algumas uvas amargas, são os nossos pecados que ainda continuamos a praticar. Mas a seiva poderosa que é o sangue do Cordeiro, nos restaura novamente e logo as boas uvas, obras e ações são novamente produzidas para a glória de Deus. Por isto temos certeza da nossa salvação, ou seja, nossos pecados de antes já foram pagos na cruz e até os que ainda iremos fazer. Caso contrário, a cruz de Cristo teria sido em vão e lhe garanto: não foi, a Nova Jerusalém da Revelação (Apocalipse 21:1)  e o Cordeiro de Deus são reais. E a nossa certeza da vinda do nosso Rei é concreta. Esta é a diferença das obras realizadas por um crente, independente de religião e um religioso.

Então agora, marque a terceira opção acima e fique firme nela, até a volta do nosso Rei. Eu, você e todos os santos de Cristo, vamos estar juntos naquele maravilhoso Dia do Senhor. E livres da sua justa ira contra “os covardes, os incrédulos, os depravados, os assassinos, os que cometem imoralidade sexual, os que praticam feitiçaria, os idólatras e todos os mentirosos — o lugar deles será no lago de fogo que arde com enxofre. Esta é a segunda morte”. Apocalipse 21:8

Oração de hoje:  “Amado Deus, Todo Poderoso e Soberano Senhor, agradecemos por seu imenso amor por nós, os teus servos. Pela sua graça maravilhosa que nos concedeu através do seu Filho Jesus Cristo. Obrigado por pagar a nota promissória de nossos pecados, a qual para nós era impagável. E obrigado também por que nos separou para o Senhor e nos presenteou com seu Reino e a vida eterna junto com o Senhor e o Cordeiro, nosso Rei.  Em nome de Jesus oramos e agradecemos” amém.

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: