orfaos

“Portanto, meus amados irmãos, todo o homem seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar. Porque a ira do homem não opera a justiça de Deus. Por isso, rejeitando toda a imundícia e superfluidade e malícia, recebei com mansidão a palavra em vós enxertada, a qual pode salvar as vossas almas. E sede cumpridores da palavra, e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos. Porque, se alguém é ouvinte da palavra, e não cumpridor, é semelhante ao homem que contempla ao espelho o seu rosto natural; Porque se contempla a si mesmo, e vai-se, e logo se esquece de como era. Aquele, porém, que atenta bem para a lei perfeita da liberdade, e nisso persevera, não sendo ouvinte esquecediço, mas fazedor da obra, este tal será bem-aventurado no seu feito. Se alguém entre vós cuida ser religioso, e não refreia a sua língua, antes engana o seu coração, a religião desse é vã. A religião pura e imaculada para com Deus e Pai, é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações, e guardar-se da corrupção do mundo” Tiago 1:19-27

Porque que Tiago nos diz isto?  Porque ele descobriu que a verdadeira justiça é orientada para as pessoas. No mundo antigo, o órgão e a viúva eram desamparados na sociedade. Sofriam pressões financeiras, eram legalmente fracos e, acima de tudo, sofriam a pressão emocional da dor da solidão. Uma rápida consulta a uma concordância bíblica é suficiente para mostrar o quanto Deus se preocupava com estas pessoas. A Escritura é repleta de mandamentos para que Israel (no Antigo Testamento) cuidasse do órfão e da viúva.

Atualmente temos programas de Governo para ajudar financeiramente os órfãos e as viúvas. Porém, o estado de viuvez e orfandade ainda é desagradável e a carência financeira e emocional, especialmente dos órfãos, costuma ser imensa. As instituições sociais podem mudar, mas as exigências para mostrar compaixão para com aqueles em  necessidade são as mesmas. De acordo com o ensino de Tiago, a pessoa que se dedica a atos de piedade (por exemplo, ir à igreja e entregar o dízimo), mas não se preocupa em demonstrar ao necessitado, de maneira prática, o amor de Jesus, não tem uma religião verdadeira. Em outras palavras: a piedade sem compaixão é uma mentira. Somos chamados para demonstrar o amor de Jesus e não só praticar obras sociais.

“Quem, pois, tiver bens do mundo, e, vendo o seu irmão necessitado, lhe cerrar as suas entranhas, como estará nele o amor de Deus? Meus filhinhos, não amemos de palavra, nem de língua, mas por obra e em verdade” 1 João 3:17-18

Oração de hoje: “Pai querido, obrigado por que tem nos dado muito mais que precisamos. Perdoa nos, porque ainda assim reclamamos muito e dividimos muito pouco. Ensina nos a ser como o Senhor, que tem nos dados tudo sem que mereçamos, que possamos ajudar aos nossos irmãos, não por obras, mas por amor. O mesmo amor que o Senhor tem nos ajudado com sua grande misericórdia que se renova a cada manhã. Em nome de Jesus agradecemos e lhe pedimos”.

Anúncios